Shania Who?

Shania Twain é cantora, compositora, produtora, atriz e escritora canadense, e um dos grandes nomes da música country no mundo todo. Atualmente possui seis álbuns que, juntos, ultrapassam 100 milhões de cópias vendidas.

Shania Twain concede entrevista ao Toronto Star. “Me sinto triunfante”

A jornada de entrevistas de Shania Twain em divulgação do novo álbum “Now” segue firme, enquanto a cantora se prepara para o lançamento no próximo dia 29 de setembro.

Em entrevista recente ao Toronto Star, a cantora descreveu o sentimento acerca do novo álbum: “Me sinto triunfante”, alegou.

A cantora, que passou anos afastada do público devido ao fim de seu casamento e à perca de sua voz – graças a complicações causadas pela doença de Lyme – explicou que seu pensamento mais terrível era admitir que talvez nunca mais voltasse a cantar.

“Eu tive que soar como uma vaca moribunda por um longo tempo antes que eu pudesse realmente fazer qualquer som que fosse agradável.”

De volta, depois de mais de 15 anos, a cantora afirma: “Eu penso diferente agora. Eu evolui e por isso que chamei esse álbum de ‘Now”.

Confira a matéria completa produzida por Mesfin Fekadu do Toronto Star.

Depois de se tornar um ícone global e uma das cantoras com maior vendagem do mundo, Shania Twain teve que pronunciar as palavras mais difíceis que um vocalista precisa ouvir: “Talvez eu não cante nunca mais.”

A rainha do country pop contraiu a doença de Lyme, responsável por paralisar seu instrumento mais valioso – sua voz – e fazê-la pensar que sua carreira tinha acabado.

“Isso pode matar. E se isso não te mata, pode te dar uma qualidade de vida degenerativa para o resto de sua vida”, disse ela em uma entrevista recente.

A doença não matou Twain, mas o processo de encontrar sua voz novamente foi horrível. “Eu tive que soar como uma vaca moribunda por um longo tempo antes que eu pudesse realmente fazer qualquer som que fosse agradável.”

Mas Twain, que perseverou desde que sua carreira começou em 1993, estava pronta para o trabalho de reconstrução de sua voz, e vida. Ela esteve com treinadores e trabalhou extensivamente em seus vocais, comparando-se a experiência de um atleta, que se recupera de um machucado.

Twain testou sua voz de vários jeitos nesses 17 anos entre seu último álbum “Up!” de 2002, e o mais novo esforço, “Now”: Ela cantou em duetos com Lionel Richie e Michael Bublé para os álbuns deles, completou uma residência em Las Vegas e lançou uma bem-sucedida turnê pela América do Norte, reconectando-se com os fãs, que a ajudaram a vender mais de 90 milhões de álbuns em todo o mundo.

“Me sinto triunfante”, disse Twain, cujo novo álbum chego às lojas em 29 de setembro. “Sinto como se tivesse escalado uma grande montanha e chegado ao topo…E, sabe, vindo de um momento onde eu realmente achei que nunca gravaria outro álbum, que nunca faria outra turnê e que nunca cantaria profissionalmente de novo. E aqui estou com um álbum completo, parece um pequeno milagre pra mim.”

Now” é provavelmente o álbum mais pessoal de Twain até hoje. Ela escreveu as 16 canções sozinha – uma raridade no mundo da música hoje – e ela despejou seus sentimentos e emoções nas canções, mesmo que tivesse chorado ou se desmanchado no estúdio ao longo do processo. Apesar de ela ser uma das mais celebradas cantoras da história e encontrar um enorme sucesso se apresentando, sua vida não foi fácil.

Twain, que teve uma infância difícil no Canadá, cresceu pobre e em um ambiente de abuso em Timmins. Seus pais morreram em um acidente de carro e ela assumiu o papel de cuidar de seus três irmãos mais novos. Ela se mudou para Nashville, mas teve problemas para se instalar na nova cidade. Ela finalmente se casou com o produtor Robert “Mutt” Lange, e eles escreveram algumas de suas músicas mais bem-sucedidas, mas depois se divorciaram.

Cindy Mabe, presidente da Universal Music Group Nashville, disse que o novo álbum é uma reflexão da vida inteira de Twain e marca a primeira vez que a cantora se abriu tanto em sua música.

“Esse é mais cru, mais vulnerável e mais real do que você já conheceu dessa pessoa”, disse Mabe. “Ela realmente te deixa entrar no que está acontecendo em sua vida e… Isso é sobre ela realmente enquadrando sua vida e em um tipo de compreensão de onde ela está e como ela se encaixa nas coisas e depois compartilhá-la com o mundo. Essa é a gravação mais corajosa que já fez.”

Em quase duas décadas entre álbuns, Twain esteve ocupada cuidando de ser filho e se casou de novo. Mas ela ainda compôs canções, colecionou poemas, letras e melodias ao longo dos anos. Ela passou dois anos criando “Now” e trabalhou com quatro produtores no projeto: Ron Aniello (Bruce Springsteen), Jake Gosling (Ed Sheeran), Jacquire King (Kings of Leon) e Matthew Koma (Zedd, Carly Rae Jepsen).

Twain disse que escolheu esses colaboradores devido ao respeito pela sua decisão de escrever cada canção sozinha, algo que ela não havia feito desde antes de gravar com Lange.

“Eu me senti motivada pelo desafio de carregar o risco ou o peso de fazer algo sem ser guiada ou influenciada, e sem uma resposta. Isso para mim foi o maior teste de independência”, diz ela.

O primeiro álbum do single, a divertida “Life’s About To Get Good”, captura perfeitamente a energia de Twain: Ela está feliz e pronta para o próximo passo em sua vida e carreira. A canção chegou até o Nº. 33 na parada Hot Country Songs da Billboard e, apesar de ter um álbum que vendeu mais de 20 milhões de cópias nos Estados Unidos e mais dois outros com mais de 10 milhões cada, Twain e sua gravadora não estão se sentindo pressionados.

“Estou satisfeita de até onde o single chegou? Não muito, mas estou apenas expondo a gravação. Então com todas as outras coisas que estamos apresentando eu estou feliz”, diz Mabe. “Nós fizemos barulho e…eu me sinto bem sobre onde estamos chegando com essa gravação e onde ela será exposta.”

Sobre a venda de álbuns hoje, comparada aos anos 1990 e começo dos anos 2000, Twain diz: “A indústria mudou muito…É como comparar maçãs com laranjas. É diferente e a contagem é feita de um espectro muito amplo, então não estou sentindo essa pressão, simplesmente porque simplesmente não existe mais. A pressão para mim é mais do tipo, ‘Vou conseguir escrever músicas com as quais meus fãs se relacionam? Eles vão se relacionar com o que eu tenho a dizer?’”

“Eu sou diferente agora. Eu penso diferente agora. Eu evolui. É por isso que chamei esse álbum de ‘Now’”, diz ela. “Essa sou eu agora.”

Mesfin Fekadu
THE TORONTO STAR


Publicado por Diego Brambilla

COMENTÁRIOS