Shania Who?

Shania Twain é cantora, compositora, produtora e escritora canadense, e um dos grandes nomes da música country no mundo todo. Atualmente possui cinco álbuns de estrondoso sucesso.

[Review] Shania Twain estava em pleno vigor na Amalie Arena de Tampa

Deveria ser óbvio quando uma mulher começou a agitar uma bandeira suíça durante uma abertura do superstar do Euro-pop, Bastian Baker, mas aparentemente todo mundo é fã de Shania Twain. Ainda assim, pode ter sido fácil para os fãs do Bay Area esquecer isso. A compositora de 52 anos não visitou essa parte da floresta há mais de uma década. Twain tocou pela última vez na Amalie Arena, então chamada St. Pete Times Forum, em uma turnê de 2004 em que comemorava seu LP de 2002, “Up!”, mas esse álbum acabou sendo seu último antes de um hiato de 13 anos que a levou a lidar com disfonia pela doença de Lyme.

No sábado, na frente de 13.500 fãs, Twain retornou ao palco em apoio ao “Now”, seu primeiro álbum em 15 anos. Ela não perdeu um segundo também. Entrando na arena a partir da passarela do andar inferior de Amalie, Twain fez o seu caminho pela multidão, hi-fives com os fãs e rapidamente entrou em uma versão colorida de “Life’s About To Get Good” daquele novo álbum. Por um momento, em meio aos azuis e amarelos de neon, pareceu que o vocal de Twain se perderia em um mix pesado no baixo e nas vozes de seus seis cantores de apoio, mas essa preocupação rapidamente se resolveu. Twain era toda sorrisos e já estava em um novo traje no momento em que “That Don’t Impress Me Much” rolou em torno de 30 minutos no set. Ela até se sentiu despreocupada o suficiente para refazer o final da música, que a encontrou sendo mergulhada por uma de suas dançarinas. “Eu só consigo esse final certo, tipo, duas vezes, em toda essa turnê”, ela riu.

Depois de breezing e do tropi-rock de outra nova (“Let’s Kiss and Make Up”), Twain deu Amalie seu primeiro grande momento durante a faixa old-school “Any Man of Mine”, onde seus botas vermelhas de veludo conduziram a banda através de uma dança quadrada em linha reta. Chegar ao sucesso de 1997 (e “Honey I´m Home” do mesmo álbum, “Come On Over”) foi um lembrete de que em seu auge, Twain reinou suprema no pop-country. E enquanto bombas e plataformas superavam as botas de cowboy na multidão, Twain parecia ansiosa para agradar a todos na multidão. Alguns dos maiores aplausos surgiram durante uma performance no meio do set de “Soldier”, agora lenta, que encontrou Twain sentada em um violão e suspensa sobre a multidão enquanto cenas do filme de 2017, “Thank You For Your Service”, tocavam no fundo.

Em abril, Twain, uma canadense, ganhou alguns amigos e inimigos depois de dizer que votaria em Donald Trump se ela pudesse votar nas eleições de 2016. Twain rapidamente se desculpou por essa afirmação, e se afastou da política durante essa performance, optando por hit após hit após hit. Ela ainda teve que implantar um videoclipe de quatro músicas para incluir todos os seus grandes discos no conjunto de 22 músicas, com duração de duas horas. No centro do show, no entanto, estavam seus fãs, que têm clamado por um retorno há algum tempo.

Em um ponto, na corrida para uma versão crescente de outro hit de 1997 (“From This Moment On”), Twain levou alguns fãs até o palco e os apresentou para a plateia. Uma delas era uma jovem da Argentina que falava muito pouco inglês. Outra era ainda mais jovem e foi levada ao palco, descalça, pela mãe dela. Nenhum deles era mais impressionante (e impressionado) do que o chapéu de cowboy de 20 e poucos anos que apenas ficou parado lá, chocado e admirado pela cantora.

Eu nasci e cresci bem aqui, mas você é um dos meus heróis da infância”, ele disse.

O garoto tinha provavelmente quatro anos de idade quando o vídeo de “The Woman In Me” saiu, mas lá estava ele, de cabeça para baixo no palco, sorrindo e totalmente descrente. Shania, tão ensolarada e efervescente quanto estava naqueles vídeos dos anos 90, parecia impressionada com o fã.

Em uma era de pop stars de 15 minutos – onde a fama é mais fugaz do que nunca e os fãs tendem a ser instáveis na melhor das hipóteses – essa devoção, apesar dos anos entre os álbuns, foi a parte mais impressionante da noite. Twain teve um lugar na primeira fila para essa fidelidade na sexta-feira, e até ela pareceu surpresa ao ver que, para seus fãs, ela sempre será a única – para sempre e sempre.

Setlist
Life’s About To Get Good
Come On Over
Up!
Poor Me
Don’t Be Stupid (You Know I Love You)
That Don’t Impress Me Much
Let’s Kiss and Make Up
Any Man of Mine
Whose Bed Have Your Boots Been Under?
Honey, I’m Home
I’m Alright
Soldier
You’re Still The One
More Fun
[Video Medley]
From This Moment On
I’m Gonna Getcha Good!
Party For Two (w/Bastian Baker)
Swingin’ With My Eyes Closed (w/Bastian Baker)
(If You’re Not in It for Love) I’m Outta Here!

Man! I Feel Like a Woman!
Rock This Country!

– –

Ray Roa Kamran Malik
CL TAMPA

Publicado por Diego Brambilla

COMENTÁRIOS