Shania Who?

Shania Twain é cantora, compositora, produtora e escritora canadense, e um dos grandes nomes da música country no mundo todo. Atualmente possui quatro álbuns de estrondoso sucesso.

Shania concede entrevista ao Mirror UK

No último domingo (24), o site britânico Mirror divulgou uma entrevista exclusiva com a cantora Shania Twain, realizada durante uma pausa de sua turnê “Now” que segue pelos Estados Unidos e Canadá, mas que ainda deve percorrer Europa, Austrália e Brasil neste ano.

A cantora falou sobre sua infância, seu divórcio, a perda de sua voz devido á doença de Lyme, a composição do novo álbum “Now“, lançado em 2017 e como cria o filho Eja, diante da infância e adolescência em que viveu.

Confira a entrevista completa traduzida abaixo:

Shania Twain é um ícone. Não há dúvidas sobre isso. Ela vendeu mais de 100 milhões de discos, fez o álbum mais vendido por uma artista feminina de todos os tempos e ganhou cinco Grammys.

Então, quando a encontramos em um quarto de hotel de Los Angeles, ficamos um pouco surpresos. Aninhada entre enormes buquês de rosas brancas, encontramos uma mulher pequena, de fala suave, usando o moletom com capuz de seu filho adolescente e uma leg.

O rosto dela, no entanto, é feito de acordo com os padrões das estrelas, com longos cílios postiços e uma malha de renda que sugere que ela estaria pronta para pegar sua guitarra a qualquer momento. Nós meio que nos perguntamos se ela tem uma camiseta apertada com estampa de leopardo debaixo do pulôver folgado.

Já se passaram 15 anos desde que Shania deixou de lado os tops e começou uma vida tranquila em mais de uma maneira. Movendo-se para a Suíça com seu jovem filho Eja e o famoso produtor Robert ‘Mutt’ Lange, a voz de Shania começou a se deteriorar até o ponto de ela não conseguir mais chamar seu cachorro.

Então, 10 anos atrás, no meio de sua vida tranquila, ela descobriu que Mutt estava tendo um caso com sua melhor amiga, Marie-Anne. Mas em um enredo que se assemelha a uma novela, Shania agora está felizmente casada com o ex-marido de Marie-Anne, Fred.

Shania, que perdeu sua mãe e seu padrasto em um acidente de carro aos 22 anos e passou vários anos criando seus irmãos mais novos, não é nada senão uma sobrevivente. Ela fez uma cirurgia para reparar danos nos nervos perto de suas cordas vocais depois que um carrapato deu sua doença de Lyme, e ela está de volta com uma turnê mundial e um álbum cheio de músicas que apontam o dedo médio para o ex.

“Minha voz soa mais profunda? Mas, não é?”, Ela pergunta, distraidamente acariciando a cicatriz recente em seu pescoço deixada pela cirurgia.

Ela é aberta e franca: quando fala sobre os momentos mais difíceis dos últimos anos, seus olhos estão cheios de lágrimas, mas quando ela ri, é um tipo de gargalhada rouca que nos faz rir também. Ela envolve as mãos em torno de uma xícara de chá de ervas, se inclina para frente e discute tudo, desde fazer xixi no palco quando criança, até não dar presentes de aniversário para seu filho …

Bem-vinda de volta ao cenário mundial! Você sempre soube que faria um grande retorno?

Eu pensei em nunca mais cantar. No começo eu estava ansiosao para descansar. Eu tive um bebê, eu queria fazer um ninho e relaxar – ser mãe e esposa, e nem escrever músicas. Eu queria plantar flores e andar a cavalo. Foi incrível, mas minha voz ainda não voltou.

Quão ruim foi isso?

Eu não conseguia chamar meu cachorro. Se eu queria gritar alto, minha voz saia rouca. Alguns médicos me disseram que era psicológico e perder a minha voz estava ligado em como eu estava me sentindo no momento. Eu estou com raiva disso, porque eles me mandaram na direção errada.

Qual foi a causa?

Foi uma lesão nos nervo devido a doença de Lyme. Eu vi um carrapato cair e fui tratada imediatamente, caso contrário o dano teria sido muito mais extenso. Eu estava em turnê e quase caía do palco todas as noites porque ficava muito tonta. Eu me senti sortuda quando descobri a causa, porque a doença pode ir ao seu cérebro ou coração.

Você abraçou seus anos fora dos holofotes – assando biscoitos, jardinando?

[Risos] Eu sempre fiz tudo isso. Eu amo cozinhar e não sou uma boa jardineira, mas adoro plantar flores. Quando elas morrem, eu as planto de novo! Eu não sei se é muita ou pouca água … Fui muito mãe, e eu aproveitei esses anos cruciais com meu filho. Foi uma bênção, não se distrair com o trabalho.

Você esqueceu que era uma megaestrela?

Eu gosto de esquecer, de qualquer forma. Eu gosto de ser apenas eu mesma e esquecer quem eu sou. Quando eu tenho que ser a artista, eu também gosto disso.

Por que você decidiu fazer um retorno?

Sete anos depois da doença de Lyme, comecei a escrever com mais atenção e percebi que algumas partes da minha voz ainda estavam lá. Tem sido um longo processo e agora cirurgia.

“Now” foi apelidado de seu álbum de divórcio, porque está cheio de emoções cruas que você sentiu depois do caso de Mutt. Como Fred se sente ouvindo essas músicas?

Nós tivemos que rir de algumas coisas. Ele diz: “Uau, você ainda não superou esse detalhe?” Eu tenho que explicar que tenho que colocar na minha música. Somos ambos muito abertos sobre o que passamos e não protegemos nada.

Há uma música chamada “Poor Me” no álbum que parece particularmente crua, com letras como “Por que eu continuo olhando para trás? / Ainda não posso acreditar que ele me deixou / Para amá-la” …

Isso é muito sobre traição – foi o meu momento de autopiedade. A música é o vômito desse sentimento. Não há problema em se sentir mal às vezes – é muito gratificante e não vou me desculpar por isso. É a propriedade do que você passou. Escrever é como um diário, embora às vezes eu ouça e pense: “Oh meu Deus, isso é muito pessoal …”

É verdade que você escreve no banheiro ou no closet do hotel?

Ninguém te incomoda no banheiro. Você pode ficar sozinho por duas horas. Eu não tenho que sentar no banheiro … Eu tenho uma mesa, uma cadeira, uma unidade inteira lá dentro, é como um mini estúdio. Os closets também são ótimos, porque ninguém pode ouvir você. É um lugar que posso deixar meus pensamentos abertos.

Você tem cantado e tocado toda a sua vida …

Eu tinha oito anos quando escrevi minha primeira música e, às dez, eu tinha um catálogo inteiro. Minha mãe foi bastante insistente sobre o meu desenvolvimento do meu talento, mas eu era reservada sobre o meu canto. Ela estava sempre me incentivando a sair e me apresentar para as pessoas, muitas vezes contra os meus desejos.

Quão nervoso você ficava?

Algumas crianças querem ser estrelas às oito, mas não eu. Eu desenvolvi o medo de cantar em público, e acho que é porque eu comecei cedo demais, eu precisava me sentir como uma criança por mais tempo. Quando eu era adolescente, levantei na frente de meus colegas – você sabe, um monte de garotos de 16 anos, na frente de toda a escola – e eu literalmente fiz xixi. Felizmente, tinha um copo de água aos meus pés e o derrubei para esconder a poça. Eu encobri tudo, meu cérebro ainda estava funcionando.

Como sua mãe se sentiria vendo você se tornar uma grande estrela?

Ela teria adorado. É muito triste que ela nunca tenha visto isso. Ela estourou todas as suas contas de telefone tentando me reservar lugares. Não foi engraçado na época, pois não tínhamos dinheiro para compras. Ela ia fazer acontecer, nós nos sacrificamos muito.

Eja tem 16 agora. A infância dele deve ter sido o oposto da sua …

Ele nunca saberá da minha infância ou do jeito que eu cresci, é como uma outra vida. Você tem que fazer um esforço real para não estragar seus filhos. Eu tenho que ter cuidado para não deixar que ele tenha tudo o que ele quer, então eu só faço um bolo para o presente de aniversário dele.

Ele já disse: “Mãe, eu realmente quero …”?

É tudo o que ele conhece. Ele espera isso. Eu diria: “Você sabe o que vai ganhar de mim no seu aniversário”, e ele fica ansioso para isso. No Natal, ele terá apenas três presentes. Essa não é uma celebração de homem rico. Muita gente mandava coisas para ele, e eu pensava: “Quantas coisas você precisa?” Eu digo a ele que qualquer coisa que ele não esteja usando depois de um mês, estamos doando para caridade. Não faz sentido fingir que somos pobres, no entanto, se ele precisar de uma camisa, eu vou comprar uma camisa para ele. Eu não vou agir como pobre se não formos pobres. Essa é a minha abordagem e estou apenas fazendo o meu melhor.

Shania sobre Shania …

O que não te impressiona muito?

Pessoas negativas. Eu tenho que escolher com quem eu sou simpática, porque é preciso muita energia. Meu pobre marido, ele não tem aqueles momentos de bebê, eu só digo, “Renuncie!” Meu filho só diz [coloca uma voz de bebê] ‘mamãe, mamãe’ quando ele está realmente chateado. Eu amo ser mamãe, mamãe e esposa, mas para algumas pessoas eu sou como, “Oh, pare com isso.”

O que faz você se sentir como uma mulher?

Meu marido faz! Eu ainda tenho músculos sob a gordura, embora eu odeie a textura do meu corpo agora. Mas ele diz: “Eu não quero me aconchegar a um homem, não quero músculos duros”. Ainda sou forte, mas há uma suavidade agora, e ele gosta disso. Isso me faz sentir mulher.

O que ainda é único na sua vida?

Meu lugar para ir é sempre auto-reflexão. Eu estou sempre me checando – constante auto-aperfeiçoamento é importante. Quando paro para refletir, isso realmente me focaliza.

Rosie Hopegood
MIRROR.UK

Publicado por Diego Brambilla

COMENTÁRIOS