Shania Twain concede nova entrevista exclusiva à revista AARP The Magazine
30 jan 2020

A super artista Shania Twain é capa da edição de Fevereiro/Março da revista AARP The Magazine e, em uma entrevista exclusiva, falou sobre como a perca de sua a voz e do seu casamento devastou sua carreira e emoções. Ainda compartilhou a motivação e o pensamento que a ajudaram a voltar 16 anos depois, ainda mais forte e mais feliz.

Casada há nove anos com Frédéric Thiébaud, a cantora relembra a maneira como a história de amor deles começou, uma história digna de uma novela. “Foi uma troca”, disse à publicação. “Mas uma troca maravilhosa”.

Em 2008, o ex-marido de Twain, Robert John “Mutt” Lange, que também era seu produtor de longa data, disse que seu casamento de 14 anos havia terminado. Dentro de semanas, ela descobriu o porquê: ele a estava traindo com sua querida amiga e sua assistente pessoal, Marie-Anne Thiébaud.

Na época, Marie-Anne era casada com Frédéric, que acabou contando a Twain o caso de seus cônjuges. Twain diz que Marie-Anne havia assegurado anteriormente que era “absurdo” pensar que Lange era infiel. Após descobrir sobre o caso, Twain lidou com a depressão.

Houve dias em que realmente não me importei se o amanhã chegasse. Eu estava na areia movediça. Entrei em pânico, como todo mundo, mas não me rendi. Eu encontrei uma saída.

Hoje, Twain, que se tornou a artista country com maior vendagem da história, está de volta e melhor do que nunca com uma família amorosa, uma residência de retorno em Las Vegas e até uma carreira cinematográfica iniciante – em 2019, ela estrelou ao lado de John Travolta em Trading Paint, no qual Travolta a chamou de “jóia do filme”.

Sobrevivência é tudo”, diz.

Twain também diz que se recuperou dos problemas com a voz, que a atormentam desde 2003. Nesse ano, ela foi diagnosticada com disfonia, que é um distúrbio neurológico da laringe.

Depois que o otorrinolaringologista da Filadélfia, Robert Sataloff, descobriu que a raiz de sua disfonia era a doença de Lyme, Twain implantou estabilizadores de Gore-Tex em sua garganta em 2018, para que seus músculos vocais não precisassem trabalhar tanto.

Enquanto escreve novas músicas, ela diz que muito disso é reflexo de sua infância, que está longe de ser animada.

Twain foi criada em Ontário, Canadá, por sua mãe, Sharon, e seu padrasto, Jerry Twain. O pai de Twain abandonou a família cedo, e nem sempre havia dinheiro para aquecimento ou refeições adequadas. Além disso, Twain testemunhou violência doméstica desde os 4 anos de idade, quando viu o padrasto derrubar a mãe inconsciente contra um assento do vaso sanitário e tentar afogá-la.

Esse foi o começo da regra para o resto da minha infância”, diz ela. “Não sei como sobrevivemos.

Quando Twain tinha 22 anos, a tragédia atingiu sua família quando sua mãe e padrasto morreram em um acidente de carro. A partir de então, ela assumiu o papel de criar seus três irmãos mais novos.

Às vezes fico sobrecarregada ao lidar com as coisas, mas a experiência também ensina como lidar”, diz ela. “Quando você envelhece, cria muita experiência em cair e levantar. Você não vai parar de cair. Mas você ficará melhor se levantando e se limpando. Eu acredito. Eu vivi isso.

Twain diz que a idade também a ensinou a ser mais confiante em seu corpo.

Estou mais confortável com meu corpo agora do que quando era mais jovem. Na verdade, era uma luta naquela época. Mas com a idade, você pergunta: ‘OK, quantos anos mais eu tenho para viver e eu realmente quero vivê-los me sentindo negativa sobre mim e as coisas que não posso mudar?’

Só acho que não vale a pena. A idade traz perspectiva. Todo dia eu aprendo algo novo. E pretendo fazer isso até o dia em que morrer.

A edição mais recente da revista deve chegar às lojas a partir de fevereiro, mas já está disponível online agora em www.aarp.org/magazine/.

Sobre a AARP

A AARP é a maior organização sem fins lucrativos e apartidária do país, dedicada a capacitar pessoas com 50 anos ou mais para escolher como vivem à medida que envelhecem. Com presença nacional e quase 38 milhões de membros, a AARP fortalece as comunidades e defende o que é mais importante para as famílias: segurança em saúde, estabilidade financeira e realização pessoal. A AARP também produz as maiores publicações de circulação dos EUA: AARP The Magazine e AARP
Bulletin.

FONTE: PR News Wire, People