“Come On Over” se mantém como um dos 10 discos mais vendidos de todos os tempos
25 jan 2019

Segundo uma publicação da Phil Star, o álbum “Come On Over” de Shania Twain continua sendo um dos dez discos mais vendidos de todos os tempos e o mais vendido da música country.

Ainda segundo a publicação, o “Greatest Hits” dos Eagles, com 38 milhões em vendas superou “Thriller”de Michael Jackson, com 33 milhões de discos como o álbum mais vendido de todos os tempos. Esses números, porém, incluem apenas vendas nos Estados Unidos e no Canadá. Mundiamente, “Thriller” continua supremo com incríveis 66 milhões de cópias vendidas contra os 51 milhões dos Eagles.

Come On Over” continua com a marca de 40 milhões de discos vendidos, segundo a publicação, sendo o 10º colocado. Entre as cantoras com maior vendagem, Shania Twain perde apenas para Whitney Houston, que vendeu 45 milhões de cópias apenas com a trilha sonora do filme “O Guarda-Costas”. A diferença entre “Come On Over” e o próximo colocado da lista – a trilha sonora de “Grease” – é de apenas 2 milhões de cópias.

The Woman In Me”, segundo disco da cantora e antecessor de “Come On Over”, também aparece na lista com 20 milhões de cópias.
Confira a lista completa da Phil Star:

1. Michael Jackson, – Thriller, 66 milhões;
2. Eagles – Their Greatest Hits – 51 milhões;
3. AC/DC – Back In Black – 50 milhões;
4. Pink Floyd – Dark Side of The Moon – 45 milhões;;
5. Whitney Houston – The Bodyguard Soundtrack – 45 milhões;
6. Meat Loaf – Bat Out Of Hell – 43 milhões;
7. Eagles – Hotel California – 42 milhões;
8. Bee Gees – Saturday Night Fever Soundtrack – 40 milhões;
9. Fleetwood Mac – Rumours – 40 milhões;
10. Shania Twain – Come On Over – 40 milhões;
11. Various artists – Grease – 38 milhões;
12. Led Zeppelin – Led Zeppelin IV – 37 milhões;
13. Michael Jackson – Bad – 35 milhões;
14. Alanis Morissette – Jagged Little Pill – 33 milhões;
15. Celine Dion – Falling Into You – 32 milhões;
16. The Beatles – Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band – 32 milhões;
17. Dirty Dancing Soundtrack – 32 milhões;
18. Michael Jackson – Dangerous, – 32 milhões;
19. Adele – 21 – 31 milhões;
20. Celine Dion – Let’s Talk About Love – 31 milhões;
21. The Beatles – 1 – 31 milhões;
22. ABBA – Gold: The Greatest Hits – 30 milhões;
23. Madonna – The Immaculate Collection – 30 milhões;
24. The Beatles – Abbey Road – 30 milhões;
25. Bruce Springsteen – Born In The USA – 30 milhões;
26. Dire Straits – Brothers In Arms – 30 milhões;
27. James Horner – Titanic Soundtrack – 30 milhões;
28. Metallica – Metallica – 30 milhões;
29. Nirvana – Nevermind – 30 milhões;
30. Pink Floyd – The Wall – 30 milhões;
31. Santana – Supernatural – 30 milhões;
32. Guns N’ Roses – Appetite For Destruction – 30 milhões;
33. Bon Jovi – Slippery When Wet – 30 milhões;
34. Mariah Carey – Music Box – 27 milhões;
35. Eminem – The Eminem Show – 27 milhões;
36. Linkin Park – Hybrid Theory – 27 milhões;
37. Norah Jones – Come Away With Me – 27 milhões;
38. Eric Clapton – Unplugged – 26 milhões;
39. Madonna – True Blue – 25 milhões;
40. Bob Marley & the Wailers – Legend, the Best of Bob Marley & the Wailers – 25 milhões;
41. Carole King – Tapestry – 25 milhões;
42. Phil Collins – No Jacket Required – 25 milhões;
43. Queen – Greatest Hits – 25 milhões;
44. Simon & Garfunkel – Bridge Over Troubled Waters – 25 milhões;
45. U2 – Joshua Tree – 25 milhões;
46. Prince & the Revolution – Purple Rain Soundtrack – 25 milhões;
47. Britney Spears – Baby One More Time – 25 milhões;
48. Elton John – Greatest Hits – 24 milhões;
49. Backstreet Boys – Backstreet’s Back – 24 milhões;
50. Backstreet Boys – Millenium – 24 milhões;
51. Spice Girls – Spice – 23 milhões;
52. Ace of Base – Happy Nation/ The Sign – 23 milhões;
53. Whitney Houston – Whitney Houston – 22 milhões;
54. Oasis – What’s The Story Morning Glory – 22 milhões;
55. Adele – 25 – 22 milhões;
56. Eminem – The Marshall Mathers LP – 21 milhões;
57. Madonna – Like A Virgin – 21 milhões;
58. Bon Jovi – Crossroads – 21 milhões;
59. Boston – Boston – 20 milhões;
60. Britney Spears – Oops I Did It Again – 20 milhões;
61. Celine Dion – The Colour Of My Love – 20 milhões;
62. Hysteria – Def Leppard – 20 milhões;
63. Elvis Presley – Elvis Christmas Album – 20 milhões;
64. George Michael – Faith – 20 milhões;
65. Green Day – Dookie – 20 milhões;
66. Lionel Richie – Can’t Slow Down – 20 milhões;
67. Mariah Carey – Daydream – 20 milhões;
68. Michael Jackson – HIStory: Past, Present & Future – 20 milhões;
69. Michael Jackson – Off The Wall – 20 milhões;
70. Shania Twain – The Woman In Me – 20 milhões;
71. Supertramp – Breakfast In America – 20 milhões;
72. Tracy Chapman – Tracy Chapman – 20 milhões;
73. Various artists – Flashdance Soundtrack – 20 milhões;
74. Whitney Houston – Whitney – 20 milhões.

Fonte: Phil Star

Retrospectiva 2018: 5 momentos que marcaram o ano
31 dez 2018
notícia postada por Diego Brambilla

Em 2018, diversos momentos marcaram a presença de Shania Twain no mundo da música e nós separamos 5 momentos especiais que marcaram o ano da cantora e dos seus fãs.

1 – Shania Twain enfrenta Meghan Trainor no programa “Drop The Mic”

Em janeiro, Shania Twain e Meghan Trainor se encontraram no programa “Drop The Mic” da TBS. As duas criaram versos de rap que provocavam uma a outra e, no final, declararam sua admiração mútua. Naquela noite, as duas levaram o troféu de vencedora para a casa.

https://www.youtube.com/watch?v=_ckccU8ojRg

2 – Shania Twain inicia a turnê “NOW”

Retorno aos palcos, sem dúvida, foi um dos maiores feitos da cantora ao longo do ano. A “NOW” Tour, que iniciou em abril deste ano em Tacoma, nos Estados Unidos, lotou arenas pelos quatro cantos do mundo.

3 – Shania Twain sacode a arena da Festa do Peão de Barretos

Finalmente os fãs brasileiros tiveram a chance de ver Shania de pertinho. No dia 18 de agosto, a cantora trouxe a “NOW” Tour para a Festa do Peão de Barretos, lotando a arena com mais de 55 mil pessoas que cantaram estridentemente cada nota de seus hits. Alguns hits no país como “Man! I Feel Like A Woman!”, “You’re Still The One” e “Any Man Of Mine” compuseram a setlist.

4 – Shania Twain é a grande vencedora do CCMA Awards

No dia 09 de setembro, Shania Twain voltou ao Canadá para apresentar o Prêmio da Música Country Canadense (CCMA), e acabou sendo a maior homenageada da noite. A cantora levou para a casa os prêmios de
Álbum Mais Vendido do Ano e Álbum Mais vendido do Canadá, ambos com “NOW”. Ainda levou o AppleMusic, Escolha dos Fãs e o Generation Award.

5 – “Real Country” com Shania Twain estreia

A série “Real Country” estreou em 13 de novembro deste ano a trouxe Shania Twain como jurada e produtora executiva da série. Com o intuito de trazer à mostra novos talentos da música country a série contou com 8 episódios em sua primeira temporada e foi um sucesso nos Estados Unidos, sendo transmitida pela USA TV.

“NOW” Tour é nomeada para premiação da Pollstar
04 dez 2018
notícia postada por Diego Brambilla

Todos os anos, a Pollstar premia as principais turnês de músicos a partir de informações de agentes, gerentes e patrocinadores. Os prêmios são concedidos a artistas, administradores e empresas de maior sucesso.

Neste ano, divulgada a lista dos músicos indicados, a turnê “Now” de Shania Twain foi indicada à categoria de “Melhor Turnê Country“. Nessa categoria, Twain concorre com Chris Stapleton, Kenny Chesney, Luke Bryan, Keith Urban e Thomas Rhett.

Os prêmios deverão ser entregues na “Pollstar Live Conference“, que será realizada de 11 a 13 de fevereiro no Beverly Hilton Hotel em Los Angeles.

Shania Twain anuncia novo álbum de natal com participação de John Travolta
14 nov 2018

Em divulgação ao programa “Real Country” que estreia nessa terça-feira (13), Shania Twain apareceu em diversos programas de televisão. Ainda na terça-feira, a cantora esteve no Today Show, pela segunda vez neste ano, para falar um pouco mais sobre o projeto do programa.

Durante o programa, Shania Twain também anunciou um futuro álbum de Natal e comentou com as apresentadoras Kathie Lee Gifford e Hoda Kotb que convidou John Travolta para um dos duetos do álbum.

Eu quero fazer um álbum de Natal, eu decidi isso essa semana, então eu mandei uma mensagem dizendo ‘Você pode vir e participar do álbum?’ E ele disse, ‘Claro’”.

A música, porém, ainda não foi decidida.

Eu disse, ‘Bem, está nos estágios iniciais ainda, eu acabei de decidir que quero fazer um álbum de Natal! Então, não sei ainda qual música”.

O álbum, que deve ser planejado para o Natal de 2019, de acordo com Shania, também terá composições originais.

Eu já compus algumas músicas…”, afirmou.

Shania Twain fala sobre as tragédias que a levaram ao sucesso
13 nov 2018

Após 15 longos anos de pausa na carreira, Shania Twain lançou no ano passado o álbum “Now”, que liderou as paradas e foi bem recebido pela crítica em geral. A cantora, que segue em turnê para a divulgação do disco até o final do ano, assumiu um novo papel neste ano, como mentora no novo reality show de competições, “Real Country”, onde ela usará suas décadas de experiência para ajudar artistas country amadores a encontrar o seu sucesso.

O site CountryLiving.com conversou com Twain durante as gravações do programa em Nashville, nos EUA, em agosto deste ano. A superestrela contou um pouco mais sobre o que aprendeu enquanto estava longe da indústria musical, os tipos de artistas que ela espera apoiar e como enfrentou as adversidades durante os vinte e poucos anos.

Confira abaixo a entrevista traduzida:

O que você aprendeu durante a sua pausa da música?

Houve uma regressão na diversidade de gêneros dentro da música country. Temos menos mulheres, temos menos de tudo, e é quase como se eu tivesse ido embora e o progresso para o qual eu contribuí tivesse ido embora comigo. Então, eu estou de volta! Eu estive na indústria há 45 anos, e acho que agora sei o que o público quer, então estou aqui para agradar o público, não para agradar a indústria. Eu quero ir lá e fazer músicas que se conecte com as pessoas, e quanto mais, melhor, eu acho que estamos precisando de alguma mudança nesta indústria, e precisamos de alguns nomes mais fortes.

O que te levou quando você estava começando?

Eu acho que quando você está começando, sua convicção e sua determinação têm que ser hiper, porque você vai enfrentar muitos obstáculos. Para mim, eu não tinha nenhum lugar para voltar, não tive outra escolha senão fazer isso, e essa foi minha vantagem em alguns aspectos. Eu não desejo isso a ninguém, porque é algo realmente desafiador para ter que passar em seus vinte e poucos anos, mas eu não tinha pra onde voltar. Meus pais tinham ido embora, eu não tinha apoio da família, a maioria dos meus irmãos eram mais jovens e dependentes de mim ainda, eu não tinha dinheiro, nem base, não tinha nada, então não havia outra escolha senão fazer isso. Há uma convicção de que você realmente precisa. Então, tudo o que estou dizendo é: encontre o que quer que o leve, segure-se nisso e pedale até o metal.

Qual é o seu objetivo com o Real Country?

Eu quero fazer a diferença, e eu quero encorajar diferentes. Estou aqui como uma defensora e uma animadora de torcida de artistas que têm a coragem de serem eles mesmos, e de serem únicos, e de não querer agradar a indústria e eu estou procurando o mais alto padrão de qualidade, o que não significa necessariamente que eles são os mais extraordinários vocalistas. Nós temos tantas lendas que não são conhecidas por suas proezas vocais ou seu alcance vocal, então eu estou procurando mais por estilistas e grandes comunicadores, e pessoas que têm convicção por trás de seu estilo e não hesitaram, que não começaram a copiar alguém para tentar ser aceito.

Se o objetivo é aceitação, acho que é o incentivo errado. Eu quero que os artistas sejam motivados pelo que eles querem fazer, e isso significa que você tem que colocar as vendas às vezes e manter o foco, e é muito difícil não se distrair e ser tentado pela ideia de ‘você poderia ser o próximo fulano ou ciclano’. Pode ser um processo muito doloroso, lutar contra isso e quebrar isso e ficar fiel a você mesmo, então este show tem como objetivo criar uma plataforma para esse tipo de artista.

Você não se considera uma mentora no programa – por que isso?

Fui atraída pela ideia de não desenhar tudo em um processo de monitoria. Eu gosto de monitorar, mas esse conceito em particular é mais sobre encontrar artistas que já se encontraram, que já passaram pelo processo e se mantiveram fiéis a quem são. Estou aqui para dizer ‘Bravo, parabéns por ter vindo até aqui, encontrando-se, permanecendo fiel a si mesmo, você merece uma chance de ser reconhecido por isso.’

Os artistas [do Real Country] não necessariamente se desenvolveram como propagandistas, em um sentido exagerado. A melhor maneira de agradar uma multidão é chegar lá e gritar, certo, mas nem todo mundo tem potência! Emmylou Harris não grita, e Alison Krauss não grita, e Charley Pride não grita, então há apenas diferentes tipos de cantores que merecem ser defendidos. E é sobre isso que o Real Country é.

O programa Real Country estreou nesta terça-feira às 10 da noite, nos EUA.

COUNTRY LIVING

[Review] Shania Twain no Olympiahalle: tigresa, glitter, chapéu de cowboy
14 out 2018

Pode alguém ser estrela inacessível e perto das pessoas ao mesmo tempo? Enfim, no Olympiahalle, Shania Twain se esforçou para fazer esse ato de equilíbrio, desde o início: entrou na arena pelos degraus laterais, percorreu as fileiras em um vestido brilhante e um chapéu de cowboy e bateu os fãs com o tambor de “We Will Rock You”.

Quando ela chegou ao palco, ela disse algumas palavras e começou o espetáculo meticulosamente coreografado com “Life’s About To Get Good”. Uma boa promessa, apenas: onde estão os músicos para adoçar a vida da plateia com ela? Apenas no segundo número, apropriadamente “Come On Over”, alguns passam – ou são levantados no cubo enorme no meio do palco. Em seguida, ele se divide em dois cubos, que são ao mesmo tempo telas de LED tridimensionais e plataformas de palco para os músicos. E mais três cubos ainda flutuam no teto.

Estes são rearranjados em cada música – e os dançarinos e músicos também. Vamos fazer isso aqui, às vezes eles vão para lá. O pobre baterista é constantemente empurrado para frente e para trás com a bateria, uma vez que ela escapa em um pedestal até logo abaixo do teto do hall. Às vezes, os músicos só podem ser vistos como projeções de vídeo nos cubos. Um total de quatro estão no palco, mas eles não são uma banda: partes da música são reproduzidas, por exemplo, o baixo. Às vezes Shania também canta ao vivo para a reprodução completa. Isto é intrigante, com uma produção tão grande, a música torna-se desnecessariamente estéril, o show também.

Ele oferece um novo visual para cada música: Uma hora os cubos levam Shania para um bar onde ela procura por “More Fun”. Na impressionante “That Don’t Impress Me Much” seu traje de padrão de leopardo se encaixa perfeitamente com as imagens de fundo correspondentes – é uma das mais de meia dúzia de roupas em mutação. Em “Any Man Of Mine” ela usa rock transparente e novamente chapéu de cowboy: com esta e outras duas canções ela lembra de suas raízes country – os poucos espectadores do Western Dress foram felizes.

Então ela senta com um violão em um pequeno palco no meio do corredor, atrás dela um violão que foi carinhosamente expresso com dezenas de adesivos, certamente por profissionais de design. Ela canta a balada “You’re Still The One” do seu álbum “Come On Over” de 1997. O produtor do AC / DC Robert John “Mutt” Lange, seu então marido, escreveu com ela e produziu o álbum mais vendido de uma cantora em todos os tempos. E com essas músicas de pop rock cativantes e sofisticadas, não é de admirar. Mas elas também são mundos melhores do que muitas outras músicas, mesmo como as novas peças de “Now”, o primeiro álbum de Shania Twain em 15 anos.

Durante seu desvio para o centro do salão, ela procura estar perto de seus fãs. “Eu adoraria conhecer alguns de vocês pessoalmente”, diz ela. Então, ela convida seis mulheres para fazer selfies, abraçar Shania e tomar cuidado para não cair do pequeno palco. “Esse é o meu maior medo”, diz Twain. Então ela caminha pelas filas de volta ao palco principal, onde até mesmo uma garota de 14 anos em um pulôver de fãs está esperando por ela. Depois de uma breve e tímida brincadeira, ela se ajoelha a pedido de Shania, e ela sobe pela coxa até o piano, onde canta a próxima música.

Mas senti tanto quanto este banho leva na multidão de fãs, como a rápida Shania Twain mais tarde desapareceu novamente. Com “Man! I Feel Like A Woman!”, ela toca no final de um dos maiores sucessos da noite, acena brevemente, enquanto a banda continua a tocar. Se você desviar o olhar por um momento, sentirá falta de como desaparece sem palavras no chão do palco. As luzes estão acesas, os fãs ainda estão torcendo, mas a estrela se foi.

Dominik Petzold
Abendzeitung Munique